[Resenha] Fall Out Boy nos abençoa com o novo álbum “MANIA”

O Fall Out Boy finalmente lançou o seu sétimo álbum de estúdio na madrugada desta sexta-feira (19) e dividiu muitas opiniões positivas e negativas em relação ao novo estilo abordado no novo som da banda. Com influências de eletrônica, reggae e pop (este em peso), o FOB construiu o MANIA.

A música mais próxima do antigo Fall Out Boy que muitos fãs esperavam aparecer na maioria das faixas neste álbum foi Wilson (Expensive Mistakes). Church e Heaven’s Gate fazem a junção de amor e religião com metáforas interligadas nas letras e um vocal divino de Patrick Stump. Champion, The Last of The Real Ones e Stay Frosty Royal Milk Tea são faixas que nos dão uma sensação de invencibilidade com batidas marcantes e ótimos arranjos de guitarra e piano. 

A grande surpresa do álbum foi sem dúvida Young And Menace, primeiro single divulgado. Sendo uma das músicas mais “estranhas” do álbum (palavras do próprio Pete Wentz), o Fall Out Boy arriscou no gênero eletrônico e acertou em cheio. Sunshine Riptide tem um pouco dessa vibe eletrônica misturada com reggae devido à participação de Burna Boy e não deixa a desejar.

Hold Me Tight Or Don’t é a música com mais influência pop no MANIA, trazendo uma batida dançante em mais uma letra romântica. Bishops Knife Trick encerra o álbum com um som simples, mas que deixa uma mensagem sobre liberdade. Talvez seja uma mensagem sobre como o estilo da banda nunca é o mesmo em nenhum dos álbuns? É uma questão para se refletir. 

MANIA está disponível em todas as plataformas de streaming.

Rayllen Souza, 20 anos, formada em Tradução e Interpretação, mas que adora passar seu tempo com games e animes. Amante da cultura pop e da onda Hallyu, é uma das idealizadoras e fundadoras do projeto Ladies' Room.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.