Alguns Animes Para Você Se Apaixonar

rhhrrh.png

Da série “Alguns Doramas Para Você se Apaixonar” (I, II, III), agora teremos “Alguns Animes Para Você se Apaixonar”.

Há alguns meses, fizemos uma enquete em nosso twitter para saber se vocês, leitores do Ladies’ Room gostariam de posts com recomendações de animes. A resposta foi positiva por isso iremos começar uma série de sobre animes.

Nesse post serão recomendar quarto animes que são produções originais da Netflix. Os quatro tem um lugar especial no meu coração e espero que cative as pessoas que decidirem assisti-los também. Continuar lendo

[Resenha] Fall Out Boy nos abençoa com o novo álbum “MANIA”

O Fall Out Boy finalmente lançou o seu sétimo álbum de estúdio na madrugada desta sexta-feira (19) e dividiu muitas opiniões positivas e negativas em relação ao novo estilo abordado no novo som da banda. Com influências de eletrônica, reggae e pop (este em peso), o FOB construiu o MANIA.

A música mais próxima do antigo Fall Out Boy que muitos fãs esperavam aparecer na maioria das faixas neste álbum foi Wilson (Expensive Mistakes). Church e Heaven’s Gate fazem a junção de amor e religião com metáforas interligadas nas letras e um vocal divino de Patrick Stump. Champion, The Last of The Real Ones e Stay Frosty Royal Milk Tea são faixas que nos dão uma sensação de invencibilidade com batidas marcantes e ótimos arranjos de guitarra e piano. 

A grande surpresa do álbum foi sem dúvida Young And Menace, primeiro single divulgado. Sendo uma das músicas mais “estranhas” do álbum (palavras do próprio Pete Wentz), o Fall Out Boy arriscou no gênero eletrônico e acertou em cheio. Sunshine Riptide tem um pouco dessa vibe eletrônica misturada com reggae devido à participação de Burna Boy e não deixa a desejar.

Hold Me Tight Or Don’t é a música com mais influência pop no MANIA, trazendo uma batida dançante em mais uma letra romântica. Bishops Knife Trick encerra o álbum com um som simples, mas que deixa uma mensagem sobre liberdade. Talvez seja uma mensagem sobre como o estilo da banda nunca é o mesmo em nenhum dos álbuns? É uma questão para se refletir. 

MANIA está disponível em todas as plataformas de streaming.

[Crítica sem spoilers] “Dark”, da Netflix, vai te prender do começo ao fim

A nova série da Netflix alemã, Dark, estreou com muitas expectativas de seria parecida com Stranger Things por ter o enredo um similar: uma criança desaparece numa cidade pequena e alguns jovens tentam desvendar mistérios relacionados ao desaparecimento. Até aí, tudo bem. O trailer deixou essa impressão e despertou o interesse de muita gente, mas logo no primeiro episódio podemos perceber que não é bem assim.

Desde o começo, Dark faz questão de mostrar que tudo está conectado. Tudo mesmo. A série tem uma atmosfera sinistra e misteriosa que mantém um suspense predominante. O tema envolve viagem no tempo, física quântica, ficção científica, problemas familiares e até um pouco de filosofia que pode ser percebido no meio da temporada.

Já que tudo está conectado, é importante ressaltar que até os mínimos detalhes fazem a diferença na tela. Há referências das próprias pistas impostas pela série. Todos os elementos citados foram muito bem utilizados em todos os 10 episódios da série, deixando a narrativa satisfatoriamente organizada.

O desfecho é brilhante. Prende a atenção com mais e mais mistérios, parecendo que a cada uma pergunta respondida, uma nova questão é apresentada. A fotografia e os efeitos de Dark são simplesmente de tirar o fôlego, focando em cenários com cores pesadas e um tanto quanto melancólicas. A produção da série acertou ao adicionar um clima de tensão e terror nos momentos certos, pois nenhuma cena ficou previsível ou enjoativa.

Dark requer uma atenção redobrada para conseguir entender não somente o sumiço de uma criança, mas também a história que se passa em torno de muitas famílias. Pode soar cansativo, mas a produção conseguiu ponderar entre o momento certo entre a quietação e a ação.

A série possui apenas uma temporada, mas tem um potencial gigante para a segunda.

KDT VIII + Blanc7: saiba tudo o que rolou no evento!

No último domingo, 25, aconteceu a 8ª edição do K-Pop Dance Tournament, o KDT. Para quem ainda não conhece, o KDT é uma competição de covers organizada pela K.Ö. Entertainment onde os amantes de K-Pop têm a oportunidade de mostrar seu talento e fazer valer seu esforço competindo com pessoas de mais de 10 estados brasileiros. As edições do torneio são sempre lembradas pela qualidade das apresentações e pela energia do público! Seja dançando, cantando ou torcendo, venha mostrar seu amor pela música!* Continuar lendo

Exposição “A Era do Games” saiba como foi!

A Exposição A Era dos Games teve sua passagem por São Paulo encerrada no último domingo (12) e o Ladies’ Room passou por lá para conferir um pouquinho da exposição que levou milhares de amantes de videogame até o Parque do Ibirapuera.

A exposição rolou do dia 16/08 até o dia 12/11 lá no o Pavilhão da Bienal, no Parque do Ibirapuera em São Paulo. Criada em 2002,  no museu Barbican, em Londres, a exposição já esteve em 25 países e foi vista por quase 4 milhões de pessoas.

Além de aprender sobre a história e a evolução dos jogos, o público pode jogar cerca de 150 títulos de diferentes plataformas, indo desde os clássico “Tetris, Pac-Man“, “Tomb Raider” e “The Sims” até os mais atuais como “Just Dance” e “Rock Band“.

A próxima parada da exposição é o Rio de Janeiro, no Shopping VillageMall, na Barra da Tijuca onde ficará do dia 01/12/17 até o dia 25/02/18. Para mais informações, horários e afins, acesse o site oficial da exposição.

Este slideshow necessita de JavaScript.