09 filmes antigos de comédia romântica que todos deveriam assistir!

Eu vou listar abaixo 09 filmes antigos de comédia romântica, e por antigos eu digo, nada acima dos anos 2000. Como uma amante do cinema, eu nos dias atuais ando desapontada com a forma em que os filmes deste gênero parecem “rasos”, e isso me desanima demais.

Ouvir algo como “Não se faz mais filmes como antigamente”, é algo que meus amigos estão acostumados a ouvir, pois é algo que eu realmente sinto falta, e acho que muito de vocês também podem sentir, ou até mesmo, sentirem curiosos sobre filmes “antigos”, mas demoram muito para encontrar um que vão satisfazê-los. Então abaixo estarão alguns filmes que eu adoro e que apesar de parecerem clichê, são inteligentes e engraçados na medida certa.

Curiosos? Veja abaixo a lista:

Notting Hill (1999) 

UM-LUGAR-CHAMADO-NOTTING-HILL-3-min.jpg
O filme que foi lançado em 1999, conquistou não só o público como também a crítica, apesar de ser um clichê, não deixa de ser bom e agradar a todos que o assistem. O contraste entre humor e romance é feito de forma inteligente, as piadas são inseridas nos momentos certos, assim como as cenas românticas e os diálogos que são ótimos.
O desenvolvimento dos personagens é feito de forma coesa, e a química do casal faz com que torçamos para o desfecho final e esperado. Mas essa comédia romântica cumpre seu papel como filme do gênero, com uma fotografia muito bonita.

SINOPSE – Will (Hugh Grant), pacato dono de livraria especializada em guias de viagem, recebe a inesperada visita de uma cliente muito especial: a estrela de cinema americana Anna Scott (Julia Roberts). Depois de dois ou três encontros eventuais, Will e Anna iniciam um relacionamento delicado, engraçado e cheio de idas e vindas.

Trailer:

Enquanto Você Dormia (1995)
m000416044.jpg
Lançado em 1995, é uma comédia romântica sentimental, mas muito bem feita, com um roteiro bem delineado e claro com o final feliz que todos esperam. Sandra Bullock brilha com sua personagem, sem grandes complicações, e que é amada por todos.
O filme cumpre o seu papel como comédia romântica, envolto por um cenário comum a estes filmes, mas muito agradável aos olhos: a neve, clima natalino, personagens engraçados, e uma elaboração da narrativa que é cheia de componentes com entusiasmo, como a fotografia, enquadramento, entre outros.

SINOPSE – Lucy (Sandra Bullock) é uma solitária funcionária  do metrô de Chicago  que tem fantasias sobre um passageiro habitual Peter (Gallagher), que nunca falou com ela. Um dia ele é assaltado e jogado nos trilhos do metrô. Ela o salva, mas ele fica em coma e quando ela vai visitá-lo no hospital acaba sendo confundida como a noiva da vítima. Se a situação se complica por um lado por outro ela passa a ter novamente uma família para cuidar dela, algo que não sentia há muito tempo, e ao mesmo tempo começa a se apaixonar pelo irmão da vítima, Jack (Bill Pullman).

Trailer:

Só Você (1994)
so-voce.jpg
Vamos lá, esse filme de 1994 é leve e engraçado, e com certeza é a comédia romântica mais bem recomendada, apesar de logo de início você saber qual será o desfecho, mas isso se torna algo insignificante no decorrer da trama. Com a beleza da fotografia, trilha sonora, da história em si e o talento dos atores, que conta com a presença de Robert Downey Jr.
É impossível não se apaixonar pela personagem de Marisa Tomei, que é cativante, e nos faz acreditar que ela vai sim encontrar o homem de seus sonhos. O personagem de Robert Downey Jr, é um encanto, com toda sua masculinidade mas também com um toque gentil e sentimental.

SINOPSE – Faith (Marisa Tomei) é uma professora que acredita que sua alma gêmea é um homem chamado Damon Bradley, pois quando era garota este nome apareceu em uma tábua Ouija e também por ter sido predito por uma cigana. O tempo passou e ela vai se casar com um médico. Faltando poucos dias do casamento ela atende o telefonema de um amigo do seu noivo, que pede desculpas por não poder ir a cerimônia pois está partindo naquele instante para Veneza. O nome do amigo era Damon Bradley, o que faz com que ela não pense duas vezes e decida ir até Veneza, tentando encontrar um homem que ela não conhece.

Trailer:


Para Sempre Cinderela (1998)

Não preciso nem dizer que esse filme é uma versão atualizada do clássico conto de fadas, Cinderela, né? Mas o que faz dele tão diferente e cativante?
A trama. Esta é mais adulta do que infantil, o que deu muito certo, porque ao mesmo tempo que conta uma história cheia de magia, os personagens são sólidos e profundos.
A representação a época representada no filme é incrível, desde os cenários lindos e realistas até o figurino, principalmente o da noite do baile.

SINOPSE – A rainha da França solicita a presença dos Irmãos Grimm no palácio e lhes conta que gosta muito da obra deles, mas que ficou espantada em como foi contada a história de Gata Borralheira. Assim, decide lhes narrar o que realmente aconteceu na França do século XVI, quando Danielle de Barbarac (Drew Barrymore), sua tataravó, que ficou feliz aos oitos anos quando seu pai (Jeroen Krabbé), um aristocrata viúvo, se casou novamente com uma baronesa (Anjelica Huston), pois assim ela ganhou uma mãe e duas irmãs no mesmo dia. Mas a sonhada felicidade durou muito pouco, pois logo depois seu amado pai morreu subitamente e a madrasta, que ela desejava que fosse a mãe que nunca tivera, passa a tratá-la como uma criada. Uma das filhas da baronesa é bondosa e não concorda com várias atitudes da mãe, mas por outro lado a outra filha é bastante egoísta e só pensa em se casar com o príncipe herdeiro (Dougray Scott). Para isto ela tem total apoio da mãe, que está disposta a conspirar, mentir e fazer o necessário para ver sua filha como a futura rainha. Mas ela precisa agir rápido, pois o príncipe conheceu Danielle e os dois estão apaixonados, com os sonhos de grandeza da baronesa podendo serem frustrados, pois sua enteada e o príncipe estão sendo aconselhados por ninguém menos que Leonardo da Vinci (Patrick Godfrey).

Trailer:

O Espelho Tem Duas Faces (1996)
espelho9.PNG
Vamos começar com o nome que chama a atenção de muitos, Barbra Streisand, além de dirigir esse filme maravilhoso, ela também interpreta a personagem principal. Essa comédia romântica tem uma pegada meio filme dos anos 50, mas que torna este muito gostoso de assistir. A trama é leve, agradável, fofa, mas não é nem um pouco rasa.
O roteiro traz rupturas interessantes, como ir além de mostrar a típica “mocinha apaixonada”, mostrando a construção da personagem feminina principal. Ela não se destaca por seus atributos físicos, não é bela nem chama a atenção dos homens na rua, assim como o personagem masculino principal. Ele não apresenta uma  figura dominante, que toma a iniciativa numa relação, ele é a figura que se mostra pudica, ainda que seus motivos tenham pouco a ver com vergonha e muito a ver com não saber lidar com a necessidade de ter uma companhia, mas ter medo do envolvimento.
A primeira coisa que chama a atenção na trama é a situação em que o relacionamento entre Rose e Gregory se encontram. A trama não segue a história onde ambos se encontram e se apaixonam, enfrentam problema/conflito e o amor prevalece, muito comum nas comédias românticas norte-americanas. A relação deles se baseia principalmente em uma sintonia intelectual entre os dois, e o próximo passo natural disso tudo, o sexo, que é propositadamente evitado.
Isso abre espaço para aquele tipo de humor sutil das comédias românticas de antigamente, onde o sexo era um assunto sempre reprimido, mas nunca abertamente exposto por conta da censura. A fotografia é incrível, trabalhada em tons pasteis, e tem o extreme makeover que todos amam.

SINOPSE -m Dois professores da Columbia University sentem-se solitários, pois não conseguiram se envolver com quem eles queriam. Ele, Gregory Larkin (Jeff Bridges), é um professor de matemática extremamente introvertido e que ainda idolatra Candy (Elle Macpherson), a antiga namorada que o trocou por outro. Ela, Rose Morgan (Barbra Streisand), é uma professora de literatura muito comunicativa, que viu sua grande paixão, Alex (Pierce Brosnan), se casar com Claire (Mimi Rogers), sua irmã. Ao ver o anúncio de Gregory em um correio sentimental, ela decide responder como se fosse apenas Rose, já que ambos pertencem a mesma universidade. Após alguns encontros totalmente platônicos Gregory pede Rose em casamento, mas decidem ter um união baseada apenas nas suas preferências intelectuais e totalmente desprovida de sexo. No início ela consegue suportar tal situação, mas com o tempo a relação entra em crise e ela decide se produzir, para conquistar realmente seu marido e ter um casamento de fato e não apenas de direito.

Trailer:

Fica Comigo (1999)
ficacmg.jpg
Previsível como toda comédia romântica adolescente, este filme consegue ser charmoso e divertido. Os personagens, clichês sem tirar nem por, são irresistíveis e você vai acabar se apegando mesmo, vai torcer para que tudo dê certo para o casal, sem mesmo eles saberem o que querem.
O roteiro bobinho e delicioso, mas que consegue falar com seu público, seja adolescente, seja adulto; mesmo que seja apenas uma forma de lembrar de sua própria adolescência.
A patricinha que se vê obrigada a arranjar outro acompanhante para o baile, quando seu namorado a deixa por outro. O rebelde sem causa que toma um fora da namorada e sofre por dor de cotovelo. Os dois se juntam para fazer ciumes em seus respectivos ex-parceiros, o maior clichê dos clichês, mas é incrivelmente atrativo.

SINOPSE – Nicole (Melissa Joan Hart) é dispensada por seu acompanhante do baile, quando ele convida outra garota para o grande evento do ano. Desesperada por um parceiro, ela convida seu vizinho e recém-solteiro, Chase (Adrian Grenier).

Trailer:

Uma Linda Mulher (1990)
15081293.jpeg
É clássico dos clássicos que vocês querem? Aqui vai um. A história não é inovadora, e tem uma pegada meio Cinderela, que é tirada de uma vida dura e difícil por um príncipe lindo e rico, esse filme segue um pouco esta trama. O enredo é básico, mas é recheado de bons diálogos, com um belíssimo design de produção.
O filme que é agradável, cheia de inspiração e esperanças, principalmente para os românticos de plantão que ainda acreditam nas possibilidades do amor de modificar uma pessoa.

SINOPSE – Magnata perdido (Richard Gere) pede ajuda uma prostituta (Julia Roberts) que “trabalha” no Hollywood Boulevard e acaba contratando-a por uma semana. Neste período ela se transforma em uma elegante jovem para poder acompanhá-lo em seus compromissos sociais, mas os dois começam a se envolver e a relação patrão/empregado se modifica para um relacionamento entre homem e mulher.

Trailer:

Juntos Por Acaso (1989)
jpa.jpg
A história desse filme é tão pura, leve e descontraída, super fácil de assistir, seja por gostar deste gênero, ou só por diversão mesmo.
Christopher que de início é um tanto tímido, e Alex que é totalmente o oposto dele, acabam por dividir o quarto por um erro no computador. Com o passar do tempo, ambos começam a se conhecer melhor, Christopher se entregando a relação um tanto enigmático, e Alex, aparenta não ligar muito para ele e para o relacionamento, não demonstrando seriedade no mesmo.
Apesar das diferenças e brigas de ambos, eles se ajudam bastante a entender seus sentimentos e enfrentar os conflitos que são apresentados no decorrer da trama.

SINOPSE – Christopher (Patrick Dempsey) é um estudante universitário ambicioso, que sonha em se tornar um escritor. Um erro no computador faz com que ele seja colocado no mesmo quarto que Alex (Helen Slater), uma garota que adora festas e diversão. Irritado com suas atitudes e hábitos, ele tenta mudar de quarto, mas aos pouco passa a conhecê-la melhor, e começa a gostar dela. Alex, por sua vez, não só o ajuda a ser mais sociável, como também melhora suas habilidades de escrita.

Trailer:

Namorada de Aluguel (1987)
nda.jpg
É impossível que vocês não tenham ouvido falar, ou até visto em outros filmes, a famosa cena do cortador de grama. Sim! É este mesmo.
O filme que tem uma narrativa simples, mas muito divertida do casal que finge estar juntos e acabam se apaixonando. Acompanhado de uma extreme makeover versão masculina, do nerd para o garoto popular que entende de moda, é sensacional. Mas é fácil se perder neste mundo de popularidade, e é o que acontece aqui, fazendo com que a relação de Ronald com todos ao redor dele se torne um tanto quanto complicada, inclusive com Cindy. Ao perceber sua mudança, depois daquelas tipicas discussões e sofrimentos, Ronald resolver voltar ao seu antigo eu e ganha a garota.
O que aprendemos com essa história? Simples, seja sempre você mesmo.

SINOPSE – Ronald Miller (Patrick Dempsey) é um jovem tímido e trabalhador, que sempre sonhou em ser popular no colégio. Quando ele descobre que Cindy Mancini (Amanda Peterson), uma garota linda que todos os garotos paqueram, está precisando de 1000 dólares ele surge com uma insólita proposta: empresta o dinheiro a ela e em troca ela deverá fingir ser sua namorada. Ela topa e, com sua ajuda, ele acaba se tornando um dos garotos mais populares do colégio.

Trailer:


Se vocês quiserem mais filmes ‘antigos’, me digam para que eu possa fazer mais listas como essa. Se divirtam!

Gabryelle Bittner, 22 anos, formanda em Psicologia e viciada no mundo de filmes e séries. É uma das idealizadoras do projeto Ladie's Room.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.